Minimalismo e produtividade, será que tem algo em comum?

Começando a gostar do tema minimalismo e estudando mais sobre isso entrei em um conflito.

Eu, um apaixonado por produtividade, consigo ganhar aprender alguma coisa com o minimalismo?

E não é que aprendi muita coisa. Quero aqui compartilhar com vocês.

O QUE É MINIMALISMO, PARA COMEÇAR!

Eu tinha uma visão incorreta do minimalismo, uma visão sobre viver com quase nada.

A verdade é que o minimalismo é muito mais sobre viver com o essencial, e o essencial é algo muito pessoal. O seu é diferente do meu.

Minimalismo é mais sobre aproveitar tudo que se tem, estar feliz com o que possuir, e aproveitar mais cada momento, e menos cada coisa, cada objeto material.

Minimalismo é mais sobre estar presente, sobre eliminar distrações, excessos… é mais sobre se desapegar.

Então, como uma pessoa como eu, sempre cheia de planejamentos, ferramentas, hacks para produtividade, posso aprender algo com o minimalismo?

MENOS TÉCNICAS E MAIS FOCO, PARA PRODUZIR MAIS

A verdade é que o primeiro insight começa a aparecer quando você começa a entender que produtividade não é sobre tempo, e sim sobre resultado.

Não é sobre ter várias ferramentas, processos e tudo mais, e sim sobre fazer o que deve ser feito.

É sobre aproveitar a hora em que você está dedicado.

Não podemos confundir trabalhar 12 horas em um dia com ser produtivo.

O minimalista se dedica ao trabalho, ele não é alguém sem ambições, ele é apenas alguém que não depende de mais coisas para ser completo.

Ele não precisa de mais um aplicativo para gerenciar tarefas, de mais uma agenda para registrar compromissos.

Tudo o que o minimalista precisa é de foco. Algumas horas dedicado exclusivamente a fazer o que gera valor e pronto! Resultados são gerados.

Passei a entender que menos aplicativos, menos tempo no celular, menos sistemas no computador, menos janelas abertas e mais foco é o necessário para ter produtividade.

Nesse momento que escrevo, o celular está no não perturbe, tem 2 chamadas não atendidas que vou retornar só quando finalizar o artigo, e deve ter um bocado de mensagem no whatsapp. Todas as abas no navegador estão fechadas, exceto essa do Google Drive onde escrevo o artigo. Minha área de trabalho não tem nenhum ícone para me distrair, o som do computador está no mudo.

Escrever um artigo não precisa ser complexo, não precisa de hacks. Precisa de um espaço em branco e um pouco de tempo dedicado a deixar a inspiração fluir.

No final do dia, produtividade não é sobre se sentir produtivo, e sim sobre ser produtivo.

PRODUTIVIDADE NÃO É SOBRE SE SENTIR PRODUTIVO, MAS SIM SOBRE SER PRODUTIVO

Isso mesmo, esqueça o sentimento de produtividade.

Se você quer ser produtivo, você tem que fazer o que é importante, só isso.

Lista de tarefas riscadas, compromissos na agenda atendidos, mensagens e e-mails respondidos, tempo monitorado e aplicativos para medir progresso. Tudo isso para se sentir produtivo. Mas no final das contas, o que gera resultado é sentar e escrever este texto.

Escrever um bom texto, e nada mais.

Não é sobre seguir o procedimento, sobre medir palavras escritas por hora, tempo alocado com artigos. É sobre o valor gerado, para mim e para você que está lendo.

Passei a entender com o minimalismo que criamos muitas coisas para nos sentir produtivo, e que nos tomam o tempo onde deveríamos estar sendo produtivos.

ORGANIZE SUAS COISAS!

O minimalismo fala muito sobre o espaço, sobre ter menos, sobre o essencial.

E isso é o coração da produtividade.

Ter menos tarefas, mas sim as essenciais.

Lei de pareto, 80% dos seus resultados são frutos de 20% do seu esforço. O que vale no final do dia são esse 20% fundamentais.

E onde entra a organização?

Menos distrações, menos coisas para se preocupar, igual mais produtividade.

Menos janelas abertas, menos atividades sendo executadas em paralelo, menos fazer duas coisas ao mesmo tempo, e mais fazer uma coisa, uma vez, muito bem feita, para ter resultados extraordinários.

Deixe de lado tudo que não importa para a tarefa que está executando agora. Livre-se de tudo que está te distraindo. Foque no que é importante.

O MINIMALISMO TAMBÉM É SOBRE SATISFAÇÃO

O minimalista é sim ambicioso, ele quer mais, mas ele não precisa de mais.

Ele é satisfeito, é menos perfeccionista, e não precisa mudar o tempo todo.

E isso é valido para produtividade também.

Mudar suas técnicas de ser produtivo a todo instante não é produtivo.

Talvez você possa melhorar o processo, talvez fazer as coisas de outra forma pode trazer um pouco mais de resultado. Mas pouco importa.

Se algo está dando certo, evite mexer muito. Manter hábitos é importante, e mais importante do que otimizá-los.

Ao ficar constantemente mudando um habito, um processo ou um modelo de trabalho, você perde a consistência, deixa de segui-lo e deixa de gerar resultados.

Isso vale para tudo. Mudar sua dieta a cada notícia que lê, mudar sua forma de agir a cada opinião que recebe, tudo isso só te leva para um caminho de piores resultados.

Não queira reinventar tudo o tempo todo. Mantenha-se fazendo o que gera resultados.

A VERDADEIRA PRODUTIVIDADE

No fundo a grande mensagem do minimalismo, e a grande lição que ficou foi:

A verdadeira produtividade é sobre criar uma vida equilibrada e sustentável, que você consiga seguir em frente todos os dias.

Pouco importa uma técnica mirabolante que você usa hoje, produz mais, consome sua energia e amanhã já deixa de gerar resultados.

Pouco importa saber onde seu tempo está sendo alocado, se você não faz nada para mudar.

Pouco importa medir sua produtividade.

O que importa é ser produtivo. E isso vem do básico, do que você consegue seguir todos os dias, que te faz bem, te deixa equilibrado, te faz seguir em frente.

No fundo produtividade é sobre dormir bem, sobre comer bem, sobre se mover, sobre ter energia, sobre se concentrar por um tempo no que importa.

Menos pomodoros, menos atalhos de teclados, menos aplicativos…. mais trabalho focado, concentração, energia.